Relatos de Experiências

Em breve teremos aqui relatos de experiências sobre a formação do PACTO e a prática docente!

Anúncios

23 comentários sobre “Relatos de Experiências

  1. Grecikelle Gomes Costa e Silva disse:

    Boa noite! Meu nome é Grecikelle Gomes, sou professora alfabetizadora na Escola Estadual Doutor Antônio Jacinto Pimenta, na cidade de Teófilo Otoni, Minas Gerais. A minha turma é 1º ano do ensino fundamental, alunos de 6 anos. Não participei do PACTO no ano anterior. Participar desta etapa com a estudo da disciplina matemática tem sido muito bom para minha prática. Tendemos a intensificar o trabalho nas turmas de alfabetização com leitura e escrita. O PACTO vem nos chamar atenção para a importância de intensificarmos também a alfabetização matemática de nossas crianças, uma vez que a matemática e seus fundamentos estão presentes a todo momento em nossa vida. Durante os encontros a nossa orientadora Mônica Ramos propõe estudo e discussões de textos que nos auxiliam em nossa prática. As tarefas propostas para desenvolvimento em sala de aula enriqueceram o meu trabalho com a matemática, e consequentemente, ajudarão meus alunos a desenvolverem seus conhecimentos nesta área. Apesar do cansaço após dois turnos de trabalho ao longo da semana, tem sido muito bom participar dos encontros.

  2. Cristiane Lisboa Duque disse:

    Olá boa noite a todos, meu nome é Cristiane Lisboa Duque moro na cidade de Teófilo Otoni e dou aula em uma escola na zona rural de meu município, Escola Estadual de Pedro Versiani, minha turminha lá é de 1º ano. Está sendo muito bom participar deste encontro de professores e estudar mais um pouco sobre alfabetização em matemática que nem sempre é discutida, devido a maior preocupação em alfabetização na Língua Portuguesa. A orientadora Monica Ramos nos deixa bem a vontade para falar sobre nossas experiências com a matemática em sala de aula. Estamos aprendendo muito juntos.

  3. Jandir disse:

    Boa noite!
    Meu nome é Jandir, estou participando do Programa Nacional pela Alfabetização na Idade Certa –PNAIC (Pacto) realizado no município de Teófilo Otoni.
    A coordenação dos trabalhos está sendo feita pela Orientadora de Estudos Mônica Ramos dos Santos.
    Participar do Pacto muito tem contribuído no aprofundamento dos meus conhecimentos, tanto na alfabetização da leitura e escrita quanto na alfabetização matemática.
    Os encontros estão possibilitando uma troca de experiências grandiosa.

  4. Soraia disse:

    Tendemos a intensificar o trabalho nas turmas de alfabetização com leitura e escrita. O PACTO vem nos chamar atenção para a importância de facilitar a compreensão e também a alfabetização matemática de nossas crianças, uma vez que a matemática e seus fundamentos estão presentes a todo momento em nossa vida. Durante os encontros a nossa orientadora Mônica Ramos propõe estudo e discussões de textos que nos auxiliam em nossa prática. As tarefas propostas para desenvolvimento em sala de aula enriquecem o meu trabalho e aplicação em sala de aula . Apesar dos compromissos assumidos e dos afazeres do dia a dia , estou gostando muito de participar dos encontros. Se vierem outros, gostaria de continuar sendo contemplada. Só tenho a agradecer primeiramente a Deus e a minha capacitadora Mônica Ramos dos Santos por tal previlégio.

  5. Silene Souza de Barbuda disse:

    Sou Silene Souza de BArbuda, professora do 1º ano do Ensino Fundamental da Escola Estadual Dr. Antonio Jacinto Pimenta, cidade de Teófilo Otoni, Minas Gerais. O curso tem sido muito bom, tenho aprimorado os meus conhecimentos de maneira que eu tenho passado para meus alunos e de forma lúdica. Com certeza os resultados estão sendo ótimos. Os encontros são tranquilos , com pessoas voltadas para um único objetivo, que é aprender e aprender…Nossa orientadora Mônica Ramos é muito capacitada, nos propõem trabalhos e conversas muito oportunas e interagidas com a temática “Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa. Tenho colocado em prática tudo o que cabe a minha turinha do 1º ano. Eles teem adorado e teem aprendido bastante. Espero que no final deste ano, eu possa alcançar os meus objetivos, crianças lendo, escrevendo e contando dentro das capacidades referentes à idade de meus alunos.

  6. Roseli dos Santos Souza disse:

    Roseli dos Santos Souza

    Sou de Realeza, atuo na Escola Estadual Dr. Eloy Werner, não participei no ano anterior, mas estou gostando de aprimorar novas experiências, no universo dos números. A alfabetização matemática vem derrubar um tabu desenvolvido pelos
    alunos, quanto ao conteúdo. Quem já não se perguntou o porquê de estudar determinados assuntos e para quê tantas fórmulas? Saber interpretar a escrita, colocando num sentido contextualizado, possibilitará não só o aluno aprender, quanto nós educadores, ministrar a nossa prática. Os encontros são prazerosos, a troca de experiências entre os educadores complementa e suplementa a aplicação da prática na sala de aula. As aulas de nossa tutora, vem sempre com uma dose de bom humor, para não desgastar ou ficar cansativo. Fico ansiosa pelos próximos encontros.

  7. o PACTO tem nos ajudado muito. Dando oportunidade da gente trabalhar com gosto, e poder vê os alunos com mais interesse, e tendo mais facilidades de aprender as atividades. Foi a melhor coisa que poderia acontecer na vida dos professores.

  8. Uma capacitação é sempre bem vinda! E quando isso acontece explorando TEORIA e PRÁTICA, fica fascinante. É assim o PACTO 2014. Claro que a nossa orientadora Aida Crux torna as aulas muito interessantes. Quero deixar aqui o meu MUITO OBRIGADA a Aida, por me fazer sentir útil, por ser acessível e nos fazer buscar sempre mais, pelo CD em homenagem ao professor (ameeei)… Espero sempre com entusiasmo pelo próximo encontro!!! Bj para todos.

  9. Edleusa Luzia M.P.Souza disse:

    Olá ! Meu nome é Edleusa, sou de Cataguases, Minha orientadora no pacto é Cristina Belgo. As capacitações no pacto matemática tem sido um suporte de muito valor em minha prática. Sempre utilizo sugestões do caderno de jogos, além das evidenciadas durante o encontro de formação. Uma destas sugestões o jogo “ As duas mãos estabelece a relação biunívoca (termo a termo); ajuda a construir
    noções iniciais do Sistema de Numeração Decimal, pois o educando após completar dez unidades nos dedos das mãos troca por uma dezena . Outro fator interessante é a possibilidade de identificar a quantidade de dedos das duas mãos como base de agrupamentos de 10. O jogo sugere utilizar palitos de picolé e logo após utilizar o material dourado. No entanto, como a turma já tinha conhecimento do material dourado, que havia sido introduzido logo no início do ano, iniciei o jogo com ele, além de uma pequena alteração nas regras, que sugeriam o jogo em duplas. Resolvi confeccionar dois dados gigantes e jogar com a turma toda Foi uma experiência muito interessante, principalmente quanto ao registro no caderno que foi feito através das operações que os dados sugeriam.

  10. Olá ! Meu nome é Edleusa, sou de Cataguases, Minha orientadora no pacto é Cristina Belgo. As capacitações no pacto matemática tem sido um suporte de muito valor em minha prática. Sempre utilizo sugestões do caderno de jogos, além das evidenciadas durante o encontro de formação. Uma destas sugestões o jogo “ As duas mãos estabelece a relação biunívoca (termo a termo); ajuda a construir
    noções iniciais do Sistema de Numeração Decimal, pois o educando após completar dez unidades nos dedos das mãos troca por uma dezena . Outro fator interessante é a possibilidade de identificar a quantidade de dedos das duas mãos como base de agrupamentos de 10. O jogo sugere utilizar palitos de picolé e logo após utilizar o material dourado. No entanto, como a turma já tinha conhecimento do material dourado, que havia sido introduzido logo no início do ano, iniciei o jogo com ele, além de uma pequena alteração nas regras, que sugeriam o jogo em duplas. Resolvi confeccionar dois dados gigantes e jogar com a turma toda Foi uma experiência muito interessante, principalmente quanto ao registro no caderno que foi feito através das operações que os dados sugeriam.

  11. Sônia Ribeiro disse:

    ANO PASSADO NÃO CONCLUI O PNAIC DEVIDO A MINHA LICENÇA GESTAÇÃO. NESTE ANO ESTOU APROVEITANDO CADA DICA E CADA CAPACITAÇÃO MUITO BEM DESENVOLVIDA POR MINHA ORIENTADORA EDVÂNIA.
    SOU DE CORONEL FABRICIANO E TRABALHO ATUALMENTE COM UMA TURMA DE 1º ANO, NA E.E. PROFESSOR FRANCISCO LETRO.
    TODA SEGUNDA FEIRA, AO INICIAR MINHAS ATIVIDADES COM MEUS ALUNOS, FAZEMOS UM MOMENTO DE NOVIDADES. E, EM RODA, MEUS ALUNOS SEMPRE PERGUNTAM: “TIA, QUE JOGO NOVO A SENHORA APRENDEU NO CURSO DESTE FIM DE SEMANA?”
    VIRAM SÓ, O PNAIC VEIO PARA COMPLEMENTAR NOSSA ROTINA DE TRABALHO E ALEGRAR NOSSAS CRIANÇAS COM UMA MANEIRA LÚDICA DE APRENDER MATEMÁTICA E OUTRAS DISCIPLINAS.
    APESAR DO CANSAÇO, ESTOU ADORANDO O CURSO!

  12. Cintia de Souza disse:

    Meu nome é Cíntia de Souza, sou de São Sebastião do Paraiso /MG.
    Minha orientadora é Ana Maria Ávila, e por sinal uma ótima e excelente profissional.
    Estou mais uma vez fazendo o Pacto que é um programa voltado para a alfabetização na idade certa. E a cada encontro realizado volto para escola com mais ideias e experiências para serem colocadas em prática de forma lúdica.É um curso muito bom , pois estamos sempre aprendendo um jeito novo de ensinar, para que nossas crianças aprendam de maneira prazerosa e com uma aprendizagem significativa.
    E neste PACTO de 2014, está nos despertando para o ensino de forma lúdica da matemática e está sendo muito proveitoso.

  13. Maria da Conceição Drumond Ulhôa disse:

    Bom dia! Meu nome é Maria da Conceição Drumond Ulhôa, sou de Timóteo,Vale do Aço. Leciono na Escola Estadual Getúlio Vargas,situada no bairro Funcionários. Minha turma chama Japão, prestigiando o time da copa do Mundo. São alunos do 1º ano do ensino fundamental.Pela segunda vez faço o Pacto.No ano de 2013 ,foi o de Português,cujo curso muito me acrescentou em conhecimento e me deu mais segurança no meu trabalho de educador.Continuo aplicando o que aprendi, no ano passado, consultando as dicas que trazem os cadernos do Pactuando. Este ano, o trabalho com os jogos foi mais agradável e interessante. Foi o ano de renascimento dos jogos com mais segurança ao aplicá-los. No princípio fiquei um pouco assustada, pois a algazarra das crianças era demais. Como para eles também era novidade, entrei no ritmo deles e tudo fluiu maravilhosamente. Vibramos juntos a cada jogada. Nada mais gostoso do que aprender com os jogos que nos dão suporte de querer sempre seguir em frente, levando-nos a raciocinar, respeitar as regras, a esperar sua vez de falar, jogar e ter responsabilidade dos seus atos, honestidade nos jogos, saber ganhar e perder. Antes de aplicar os jogos aos alunos, eu os ensaiava em casa com meus netos,para a partir de observações feitas por eles, eu ter os meus argumentos e hipóteses ao trabalhar em sala. Foi muito proveitoso o curso do Pacto em Matemática, apesar do cansaço. Mas o prazer em resgatar os jogos está sendo magnífico. Só de ver a carinha de satisfação da turminha valeu a pena. Espero que no ano de 2015, possa continuar com a mesma disposição deste ano. Muito obrigada!

  14. vania lucia matozinhos disse:

    Sou a professora Vânia Lúcia Matozinhos, leciono no terceiro ano do Ensino Fundamental , na E. E. Getúlio Vargas, no municipio de Tímóteo. No ano de 2013 tive a oportunidade de desfrutar do Pacto de Português e este ano do Pacto de Matemática que é a minha paixão. Acho esta oportunidade única na vida do professor porque nos trouxe e nos trará ainda grande avanço na nossa metodologia. Apesar de ter muitos anos de trabalho percebo que ainda tenho muito que aprender e com estes 8 encontros matemáticos pude ter certeza que estou no caminho certo levando meus alunos a adquirirem conhecimentos brincando.

  15. Matilde Cardoso de Sousa disse:

    Calendário dinâmico

    Relato da professora Matilde Cardoso de Sousa, do 1° ano ciclo inicial de alfabetização.
    Da Escola Estadual Dona Beti – Taiobeiras -MG

    Apresentei o calendário do mês novembro, com ele foi explorado bastante: Quantos meses tem o ano? Quantos dias tem uma semana? Quantos dias tem o mês? Quantas semanas? Que dia da semana iniciou o mês? Que dia vai terminar? Etc…
    Em seguida,falei que nós iríamos fazer um jogo com esse calendário. Expliquei as regras e fui convidando as duplas para irem a frente desenvolver e assim foi feito.
    As crianças sentiram dificuldade em fazer as perguntas, nesse momento tive que auxilia-las bastante.
    Esse jogo é muito rico para desenvolver a criatividade das crianças, precisa ser trabalhado no decorrer do ano letivo diversas vezes, para que elas compreendam e assimilem, principalmente com turmas do 1° ano porque precisa de muito raciocínio.

    Calendário dinâmico

    Relato da professora Matilde Cardoso de Sousa, do 1° ano ciclo inicial de alfabetização.
    Da Escola Estadual Dona Beti – Taiobeiras -MG

    Apresentei o calendário do mês novembro, com ele foi explorado bastante: Quantos meses tem o ano? Quantos dias tem uma semana? Quantos dias tem o mês? Quantas semanas? Que dia da semana iniciou o mês? Que dia vai terminar? Etc…
    Em seguida,falei que nós iríamos fazer um jogo com esse calendário. Expliquei as regras e fui convidando as duplas para irem a frente desenvolver e assim foi feito.
    As crianças sentiram dificuldade em fazer as perguntas, nesse momento tive que auxilia-las bastante.
    Esse jogo é muito rico para desenvolver a criatividade das crianças, precisa ser trabalhado no decorrer do ano letivo diversas vezes, para que elas compreendam e assimilem, principalmente com turmas do 1° ano porque precisa de muito raciocínio.

  16. Zilene Soare de Aguiar disse:

    Zilene Soares de Aaguiar
    Sou professora na Escola Estadual Dona Beti , no Município de Taiobeiras no Norte de Minas, minha turminha do 2º ano.
    Relato
    Ampliamos o jogo num tamanho bem maior que o original, de modo que possibilitou aos alunos direcionar melhor as setas e visualizar as direções a seguir.
    Distribuímos para cada jogador um marcador (tampinha) de cor diferente.
    Foi tirado par/ impar para decidir quem iniciaria a partida.
    Foi muito disputado, pois todos queriam chegar primeiro ao ponto final.
    Ao jogar foi possível trabalhar com os alunos os conceitos: direita, esquerda, em frente,…esperar o momento da vez, saber perder, além do companheirismo, no momento onde um ajudava ao outro a se localizar.
    Na oportunidade utilizamos o tabuleiro para localizar os pontos cardeais, verificando onde cada desenho colado se localizava ( norte, sul, leste ,oeste ).
    Trabalhar na direção certa é muito proveitoso para o aprendizado do dia-a-dia.
    Foi um experiencia gratificante vê as carinha brilhando de felicidade, e o desejo de aprender
     

  17. Rita de Cassia disse:

    PACTO 2014
    RELATO
    Área de formação: Matemática
    Orientadora de estudo: Rosanir
    Cursista: Rita de Cássia Simões de Almeida
    Município: Taiobeiras
    Escola: Estadual Professora Dona Preta
    Data do encontro: 08/11/2014
     
    Jogo: Equilíbrio Geométrico
    Objetivo do jogo: Reconhecer as figuras geométricas; desenvolver percepções corporais; desenvolver a lateralidade, as noções de espaço, estabelecendo estratégias na utilização de representações.
    Aos dias 11, 12 e 13 de novembro, desenvolvi na turma do 2º ano Cachinhos de Ouro o jogo EQUILÍBRIO GEOMÉTRICO. Para executar dividimos em etapas:
    Primeira etapa, fizemos uma lista com os materiais que íamos precisar para pintar o tapete no chão.

    Segunda etapa, medimos e traçamos o chão, usando fita métrica, régua e fita crepe. Questionei com os alunos: Que figura estávamos fazendo? Quantos lados tinha essa figura? Os quatro lados tinha a mesma medida? Qual era a metragem de cada lado? Esses lados eram paralelos? E assim por diante.
    Terceira etapa, misturamos tinta branca com bisnagas na cor vermelha, azul e amarelo, depois inventamos formar a quarta cor misturando rosa e azul e chegamos na cor roxa. As crianças ficaram surpresos com a mistura que fizemos, depois questionei: Qual estado estava a tinta?(sólido, liquido..,) Para pintar precisamos de várias latas de tintas com cores diferentes ou podemos fazer outras cores? A tinta é medida em litros ou em metros? Quantos litros tem a tinta branca? 
     Quarta etapa, pintamos todo o retângulo de uma cor só, traçamos as outras figuras planas dentro do retângulo e pintamos cada coluna de uma cor, depois questionei: Quais as cores que usamos? Quais as figuras que traçamos? Traçamos as figuras dentro ou fora do retângulo? Como pintamos essas figuras? Quantas figuras tinha em cada coluna e em cada linha? Quantas figuras ao todo? E por fim terminamos a pintura do tapete.
     Quinta etapa, avaliei a pintura dos alunos com uma tarefa em casa, desenhar o tapete que fizemos na escola e responder alguns questionamentos escritos no caderno.
     Sexta etapa, montei um texto instrucional a “regra do jogo” em formato de quebra cabeça, montamos o quebra cabeça juntamente com os alunos, logo em seguida fizemos a leitura da regra: individual, silenciosa e coletiva. Questionamos a regra e solucionei as dúvidas. Explorei os dados e a sua planificação, na qual montamos juntos.
     
    Sétima etapa, jogamos o jogo, escolhemos o juiz e os participantes foram menina e menino. Os alunos gostaram, mas acharam difícil de se equilibrar, alguns confundiram as formas e a lateralidade, mas todos queriam jogar. Os participantes ficaram inquietos, pois no dado saia muito perde a vez, então eles desequilibravam e caiam, assim perdendo o jogo.
     
      Oitava etapa, problematizei o jogo fazendo perguntas orais. Em seguida atividades escritas com várias perguntas sobre o jogo.
      Por fim Foi uma aula riquíssima, trabalhei várias disciplinas como matemática( medidas de comprimento, medidas de capacidade, figuras planas, colunas e linhas, quantidades, contagem de 4 em 4,  lateralidade e multiplicação superficial( ex: quantas vezes tinha o quatro em cada coluna?) Português (Tipologia textual: Lista e texto instrucional, leitura, significado de algumas palavras e interpretações sobre a regra e opinião de como foi o jogo) Ciências( O estado da tinta se era líquida, sólida ou gasosa).
    E assim com determinação, coragem e força de vontade conseguimos plantar uma sementinha em cada cabecinha para ser brotada e cultivada nos próximos anos.

  18. Rita de Cássia Simões de Almeida disse:

    PACTO 2014

    RELATO

    Cursista: Rita de Cássia Simões de Almeida

    Escola: Estadual Professora Dona Preta
     Contextualizar a história do Tangran;
     Mostrar que a Matemática pode ser divertida;
     Familiarizar o aluno com as figuras básicas da Geometria;
     Estimular a participação do aluno em atividades conjuntas para
    desenvolver a capacidade de ouvir e respeitar a criatividade dos colegas,
    promovendo o intercâmbio de idéias como fonte de aprendizagem para
     Estimular a criatividade;
     Desenvolver o raciocínio lógico e geométrico (habilidades de visualização,
    percepção espacial e análise de figuras).

    Aos dias 19 e 20 de novembro, desenvolvi na turma do 2º ano Cachinhos de
    Ouro a atividade com as peças do tangram. Iniciei a aula com a história a lenda do tangram, ao ler a história, despertei nas crianças uma certa curiosidade, o que seria o tangram, debatemos sobre a história e logo após entreguei a todos o tangram, pedi para que pintassem cada figura geométrica de uma cor, cores bem vivas, recortamos o tangram que transformou em 7 figuras geométricas planas: Os alunos identificaram as figuras, contaram, compararam uma com a outra e assim por diante. Dei um desafio, pra que eles montassem o tangram do jeito que o chinês entregou para o imperador

    Nesse momento começou o grande problema: Não consigo montar! Não sei! Vou desistir! Até que apareceu uma estratégia: Tia vou desenhar um quadrado na mesa com um giz e dentro vou colocar as peças! E assim fez vários alunos, só que eles estavam desenhando um quadrado bem grande maior que as peças. Então fiz eles pensarem: Quando entreguei o tangram montado que tamanho ele era? Será que o quadrado está do mesmo tamanho? Logo uma criança diminuiu o quadrado e fez do tamanho certo e conseguiu montar e assim cada um conseguiu montar o seu tangram, de várias estratégias, uns fez o quadrado e colocou as peças dentro, outros conseguiram montar sem desenhar o quadrado e outros olhando para o do colega.

    A próxima aula contei um poema do “GATO XADREZ” de Bia Villela, usando
    cartazes com as estrofes e o desenho montado com as figuras geométricas do
    tangram, explorei leitura coletiva e individual e trabalhei as rimas que tinha no poema, através da aula expositiva mostrei que a partir de quando o chinês descobriu aquelas peças os seus amigos começaram a brincar com as figuras formando objetos, pessoas, animais e etc. Então formei quatro grupos e para cada grupo dei uma estrofe, para que eles ilustrassem, usando as figuras do tangram. Por fim cada um pegou as suas peças do tangram e formou um desenho no caderno.

    Nossa! Nossa! Adorei essa aula fiquei encantada, os meus pequenos nem se
    fala, adoraram tudo, a história do tangram foi muito interessante, a todo o momento eles me perguntavam alguma coisa sobre a história. E na hora de montar? Essa hora foi surpreendente de como eles usaram o raciocínio para achar estratégias de como montar. Os olhinhos deles ficaram maravilhados com o que podiam montar com as peças. Realmente os trabalhinhos ficaram lindos.
    quadrado está do mesmo tamanho? Logo uma criança diminuiu o quadrado e fez do tamanho certo e conseguiu montar e assim cada um conseguiu montar o seu tangram, de várias estratégias, uns fez o quadrado e colocou as peças dentro, outros conseguiram montar sem desenhar o quadrado e outros olhando para o do colega.
    A próxima aula contei um poema do “GATO XADREZ” de Bia Villela, usando
    cartazes com as estrofes e o desenho montado com as figuras geométricas do
    tangram, explorei a leitura coletiva e individual e trabalhei as rimas que tinha no poema, através da aula expositiva mostrei que a partir de quando o chinês descobriu aquelas peças os seus amigos começaram a brincar com as figuras formando objetos, pessoas, animais e etc. Então formei quatro grupos e para cada grupo dei uma estrofe, para que eles ilustrassem, usando as figuras do tangram. Por fim cada um pegou as suas peças
    do tangram e formou um desenho no caderno.

  19. Reginolia Bandeira Mendes disse:

    Escola Estadual Professora Dona Preta
    Professora: Reginolia Bandeira Mendes
    Turma: Soldadinho de Chumbo Ano: 2° ano
    Orientadora: Rosanir
    Município: Taiobeiras
    Relatório do jogo ganha cem primeiro
    Antes de iniciar o jogo expliquei as regras do jogo. Depois, dividi a turma em duplas, distribuí os palitos de 10 em 10 até formar os cem palitos, e cada dupla começaram a jogar. Enquanto jogavam fui fazendo perguntas: Quantos palitos foram entregues até formar cem. Aproveitei este momento trabalhei a decomposição e as dezenas exatas.
    Percebi que as crianças desenvolveram varias aprendizagens como: Coordenação motora amarrando os palitos, desenvolvimento da oralidade, contagem, adição e a sequencia numérica.
    As crianças não apresentaram dificuldades na execução do jogo.
    A satisfação da turma ficou evidente e minha então nem se fala, foi muito prazeroso.

  20. ADRIANA RODRIGUES DE ALMEIDA MACHADO disse:

    E. E. CONRADO VERÍSSIMO DE OLIVEIRA
    – POV. DE BARREIROS –BERIZAL / MG
    1º ANO   –  TURMA  BRASÍLIA
    PROFESSORA  ADRIANA RODRIGUES DE ALMEIDA MACHADO
    ORIENTADORA : ROSANIR
    Jogo do Tapetinho
    Resumo: O objetivo deste trabalho é apresentar uma experiência vivenciada no Programa Pacto Nacional pela Alfabetização, com uma turma de 1º ano do ensino fundamental no ano de 2014.
    No dia 18 de Setembro foi trabalhado com a turma do 1º ano o jogo do tapetinho.Com o objetivo de aprenderem a numeração  decimal e a adição.Esse jogo foi confeccionado para que os alunos estimulem o raciocínio lógico e o trabalho em grupo.
    Objetivo do jogo: Ganha quem primeiro conseguir pousar na casa da esquerda do tapetinho o grupo de DEZ.
    -Jogamos no grande grupo para que a classe vá se apropriando das regras, sentados no chão (meninos x meninas). 
    -Nessa feita, utilizamos os dados, palitos de picolé, liguinhas, fichas de numerais e o tapetinho feito de cartolina.

    -Para cada equipe , um tapetinho dividido em dois campos. Escrever no alto dele, da esquerda para a direita, em cada campo:GRUPO, SOLTOS (respeitando a linguagem natural dos alunos.)
    VAMOS AO JOGO:
    -Cada criança, na sua vez, lança os dois dados e pega a quantidade em palitos de acordo com o valor indicado pelo total de pontos dos dados. Caso o resultado seja menor que DEZ, posicionam-se os palitos na casa da direita do tapetinho, ou seja, na casa onde está escrito SOLTOS e coloca-se a ficha numérica na casa correspondendo à quantidade representada no tapetinho. Cada jogador da equipe jogou em seu próprio tapetinho;
    -Se a quantidade passar de dez, a criança amarra 10 e coloca no grupo na casa do meio, e as sobras devem ir para a casa dos soltos. em seguida, deve colocar a ficha numérica em cada casa para saber quantos têm nas devidas casas, assim, a criança foi percebendo o número construído e determinou quanto há em cada ordem;
    -Ao concluir a organização de seus palitos soltos e grupos, e correspondente representação com as fichas numéricas, a criança passou o dado para o colega .
    -Neste jogo, realizei as mediações e intervenções e o acompanhamento de cada equipe de alunos, fazendo provocações e questionamentos:
    -Quanto o colega tirou? Dá pra formar um montinho de dez, (uma dezena) com esta quantidade de palitos?
    -Quantos faltam?
    -Quantos palitos soltos e agrupados há?
    -Quantos palitos ao todo?
    – Quantos faltam para amarrar um novo grupo de dez?
    – Quem consegue ler quantos palitos tem ao todo somente olhando as fichas? E assim por diante…
    -Estimulei a leitura das quantidades, em especial com foco nos grupos e nos soltos (32
    como 3 grupos de dez e 2 soltos, e não necessariamente, ainda, trinta e dois), fomentando o levantamento de hipóteses da leitura e escrita.
    -Registros das crianças:
    Após os alunos terem desenvolvido várias vezes o jogo, fizemos os registros, na forma pictórica e, apoiado na indicação feita pelas fichas numéricas e pela quantidade de palitos,soltos e grupos.Foi feita a discussão do jogo, resgatando os impasses ocorridos, dificuldades. Foi feito juntamente com os alunos a apuração das equipes campeãs. Por fim, solicitou aos alunos que registrasse o que achou do jogo e da maneira que se apresentou a aula.
    As avaliações, todas extremamente positivas, apontaram através de expressões como: “gostei muito”, “legal”, “ótimo” ,que a aceitação de tal metodologia por parte do educando foi unânime, demonstraram grande interesse e curiosidade, no decorrer de todo o jogo, a respeito das temáticas matemáticas propostas.

  21. Jacielia de Freitas Santos disse:

    E. E. CONRADO VERÍSSIMO DE OLIVEIRA
    – POV. DE BARREIROS –BERIZAL / MG
    2º ANO   – 
    PROFESSORA : Jacielia de Freitas Santos
    Relatório de atividade realizada na turma do 2° ano

    O sistema de numeração decimal passa pelas etapas da contagem, do agrupamento e trocas e, baseado neste conceito realizei as atividades por meio das seguintes práticas baseadas no 3°encontro do pnaic:
    Estimativa de quantidades
    -Uma quantidade de tampinhas em um saco surpresa onde as crianças fizeram a estimativa de quantas tampinhas havia nele sem realizar contagem. Uma lista com os nomes dos alunos e suas respostas foi anotada na lousa. Ao final contamos para conferir a quantidade e analisar a resposta mais aproximada;

    Agrupamentos e troca
    -Como já havia desenvolvido outras atividades práticas com meus alunos do conceito de agrupamento, retomei com o tapetinho, onde entreguei pra eles uma quantidade de palitos de picolé e borrachinhas e pedi que eles contassem os palitos fazendo agrupamentos com 10. Eles agruparam os feixes colocando na ordem das dezenas e palitos que sobravam na ordem das unidades. Essa atividade pode ser ampliada para resolução de adição e subtração com ou sem agrupamento e desagrupamento e trocas. Neste caso utilizei na realização de subtração com e sem desagrupamentos. Os alunos realizaram sem apresentar dificuldades e com entusiasmo contagiante.

    O final do dia apesar de cansada o resultado foi muito gratificante, olhar os pequeninos torcendo pra chegar logo o dia seguinte e dar continuidade a aula.

    9. Referências:

    Pacto Nacional Pela Alfabetização na Idade Certa
    Caderno 2: Quantificação, Registros e agrupamentos
    Caderno 3: Construção do Sistema de Numeração Decimal

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s